domingo, 16 de setembro de 2012

CNG aprova suspensão unificada da greve

O CNG aprovou no sábado, dia 15, a suspensão unificada da greve nacional dos docentes das IFE, no período de 17 a 21 de setembro.
Em breve maiores detalhes e encaminhamentos.

A greve será suspensa e a luta continua!

ASSEMBLEIA GERAL DOS DOCENTES

Edital de Convocação

DATA: 17 de setembro de 2012
HORÁRIO: 18h30min
LOCAL: Anfiteatro B do CEA

PAUTA:
1. Informes 
2. Efetivação da Suspensão da Greve
3. Destituição do CLG
4. Constituição da CNMP (Comissão de Negociação e Mobilização Permanente)
5.  Devolutiva do novo calendário proposto pelo COENS, em 14/09/2012 (presença da PROENS - Wendell)
6.   Encaminhamentos para o pós greve.


ADUFTM e Comando Local de Greve
Uberaba, 14 de setembro de 2012

UFTM divulga calendário de reposição


As aulas de reposição iniciam no dia 20, quinta-feira
Coens aprova novo calendário

A Pró-Reitoria de Ensino divulga o calendário de reposição de aulas para o primeiro e segundo semestres de 2012, após suspensão da greve, marcada para segunda-feira, 17.

O calendário foi aprovado pelo Conselho de Ensino - Coens em reunião extraordinária realizada nesta sexta-feira,14. As aulas iniciam no próximo dia 20, quinta-feira.
De acordo com o calendário aprovado, até o dia 6 de novembro serão repostos 39 dias letivos do primeiro semestre letivo. No dia 26 de novembro tem início o segundo semestre letivo, com ingresso dos aprovados no Vestibular de Inverno. Esse semestre será encerrado em 20 de abril de 2013.

Foto: Elioenai Amuy/UFTM

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Docentes mantêm a suspensão da greve a partir de 17 de setembro.

Por decisão dos docentes, reunidos em Assembléia Geral Extraordinária realizada no dia 12 de setembro, foi mantida a suspensão da greve a partir do dia 17 de setembro, segunda-feira. 
A votação foi a seguinte:
36 votos - suspensão da greve a partir do dia 17
27 votos - suspensão unificada a partir de resolução do CNG.

Foi indicado ao COENS a data de 24 de setembro para o reinício do semestre letivo.

Posteriormente publicaremos mais detalhes dos encaminhamentos.

terça-feira, 11 de setembro de 2012

13/09 - Assembléia Geral dos Docentes



ASSEMBLEIA GERAL DOS DOCENTES

Edital de Convocação 

DATA: 13 de setembro de 2012
HORÁRIO: 14h
LOCAL: Sala 06 do Campus I (em frente ao Mercado Municipal)

PAUTA:

1. Informes 
2. PL 4368/12
3. Assinatura do acordo com o Governo
4. Grupo de Trabalho (GT) Carreira


ADUFTM e Comando Local de Greve
Uberaba, 11 de setembro de 2012

Comunicado do CLG, de 06 de setembro de 2012

1) PRESENTES NA ASSEMBLEIA GERAL REALIZADA DIA 05 DE SETEMBRO, NO ANFITEATRO B, DO HOSPITAL DAS CLÍNICAS, AMBULATÓRIO MARIA DA GLÓRIA DA UFTM, ÀS 8H30, SEGUNDA CHAMADA ÀS 9H. 

75 (SETENTA E CINCO) docentes 

2) INFORMES LOCAIS 
- Fala na Câmara municipal de Uberaba: o CLG local conseguiu um espaço de 15min na Tribuna da Câmara de Vereadores, no dia 10 de setembro, às 14h. 
-Homologação de Atas da

s AGs dos docentes dos dias 25 e 31 de julho, 07, 14, 20 e 31 de agosto: disponibilizadas na ADUFTM e enviadas por e-mail aos docentes. Alterações poderão ser sugeridas até dia 10 de setembro. Após essa data, estão consideradas homologadas.
- Ofício do comando local de greve dos técnico-administrativos (TAs) da UFTM protocolado junto a Reitoria, no dia 30 de agosto de 2012, informando o retorno às atividades e a manutenção do estado de greve por tempo indeterminado até que sejam concluídas as negociações da pauta local e em apoio ao movimento dos docentes e discentes.

3) INFORME NACIONAL
- PL 4368/12: O governo federal encaminhou ao Congresso Nacional o Projeto de Lei (PL) nº 4368/2012, que trata da estruturação do Plano de Carreiras e Cargos do Magistério Federal.
- Panorama nacional da greve (comunicado CNG/ANDES-SN no30 de 03/09, p.08).
- Resultado parcial de rodada de AGs, desta semana, de outras IFEs.

4) AVALIAÇÃO POLÍTICA
- No dia 31 de agosto, a greve dos docentes das IFEs completou 107 dias, data em que o governo encaminhou ao Congresso Nacional os projetos de lei que reestruturam carreiras e tabelas remuneratórias de vários servidores, dentre eles, dos docentes.
- A proposta de carreira feita pelo governo foi rejeitada por todas as assembleias nas IFEs, mesmo assim, em ato arbitrário e antidemocrático, o governo desrespeitou as decisões das assembléias de base e firmou acordo com o PROIFES em 1º agosto.
- O Projeto de Lei (PL) nº 4368/2012 do governo não é produto de negociação, sendo rejeitado também pelo SINASEFE.
- Quanto à greve e perspectivas da luta, a análise dos resultados das AGs e as avaliações feitas, até o momento, por este CLG e outros CLGs, trazem-nos elementos que precisam ser considerados, entre eles, o questionamento sobre as reais possibilidades de continuidade da greve.
- Percebemos as necessidades de avaliações sobre a greve, da discussão de sua suspensão e dos encaminhamentos para o pós-greve.
- Fazendo uma avaliação nacional e local dos ganhos da greve, conseguimos realizar o levantamento de alguns pontos:
• - A incorporação da GEMAS ao Vencimento Básico;
• - Ganho de 4% em 2012;
• - Enfraquecimento do PROIFES;
• - A construção da pauta local, reuniões com reitoria e realização de plenárias;
• - Mobilização política;
• - Reflexão sobre a “UFTM que queremos”;
• - Visibilidade da UFTM para a comunidade local, para além das atividades rotineiras;
• - Ampliação dos canais da comunicação e interlocução com a comunidade;
• - Discussão sobre a EBSERH na UFTM, inclusive o compromisso de audiência pública a ser realizada.

5) ENCAMINHAMENTOS
5.1. DELIBERAÇÕES DA AG:
a) Aprovada, com 50 votos a favor, dez votos contrários e duas abstenções, a continuidade da greve na UFTM.
b) Aprovada, com 55 votos a favor, 07 votos contrários e nenhuma abstenções, a suspensão unificada da greve.
c) Aprovada, com 54 votos a favor, 04 votos contrários e 04 abstenções, 17 de setembro como data de indicativo de suspensão da greve a ser encaminhada ao CNG/ANDES-SN.
d) Aprovado, por unanimidade, o nome da Profa. Edna Valim (Disciplina de Imunologia) para continuar como delegada no CNG/ANDES, representando a ADUFTM.
e) Aprovado, com 52 votos a favor, nenhum voto contrário e uma abstenção, indicar ao CNG/ANDES-SN a realização de paralisações mensais nacionais/unificadas na pós-greve, para demonstrar ao governo federal que continuamos mobilizados e indignados.
f) Reprovada, com 33 votos contrários, 19 votos a favor e 04 abstenções, a sugestão de aparecer especificado “continuidade de greve” como item de pauta na próxima convocação de AG dos docentes da UFTM.
g) Aprovada, por unanimidade, colocar como ponto de pauta para próxima AG dos docentes da UFTM: (a) Discussão do Projeto de Lei (PL) nº 4368/2012 (o PL será enviado por e-mail a todos os docentes da UFTM); (b) Formação da Comissão Permanente de Negociação Unificada: para continuar a negociação de pauta local junto a Reitoria e articulação junto ao ANDES; (c) Assinatura da proposta do governo pelo ANDES; (d) Participação do ANDES no GT; (e) Discussão do retorno às atividades acadêmicas e sugestões de construção de ações após a suspensão da greve; (f) Aula inaugural de retorno às atividades acadêmicas.

5.2. ENCAMINHAMENTOS DE AÇÕES
A) Foram aprovados por ampla maioria da AG:
- participação de representantes do movimento de greve da UFTM no Ato do dia 07 de setembro: “Grito dos Excluídos” em Uberaba.
- realização do Ato no dia 10 de setembro: ato realizado antes e após a “fala na Tribuna da Câmara de Vereadores” com concentração, mobilização e dispersão na Praça Rui Barbosa. Foi aprovada também a realização de uma aula pública sobre o tema “História da Universidade Brasileira” e uma breve exposição sobre os Cursos existentes na UFTM, divulgando suas finalidades, características, áreas de atuação e outros pontos que forem considerados relevantes. O CLG dos docentes da UFTM enviará um e-mail às Coordenações dos Cursos da UFTM convidando o coordenador ou um representante participar dessa exposição.
- realização de um Ato Unificado para marcar a suspensão da greve: marcha do CE até o centro da cidade e retorno. Além disso, foi aprovada a confecção de camisetas vermelhas (com dizeres na frente: “Continuamos indignados” / nas costas “Tenham certeza: a luta continua”) e distribuição da carta ou cartilha aberta à comunidade esclarecendo sobre a suspensão da greve.
- realização, na próxima semana, de Assembleia Unificada com participação dos três segmentos (docentes, TAs, discentes).
B) Sugestões de construção de ações após a suspensão da greve:
1. Uso de fita preta 1 vez/semana;
2. Confecção de 4 faixas para afixar no HC, CEA, CE e ECTE (dizeres: Continuamos indignados);
3. Realização de assembléias mensais;
4. Realização de atos simbólicos mensais;
5. Continuar negociação de pauta local.

A luta é agora!
ADUFTM-SSIND e Comando Local de Greve dos Docentes da UFTM


06 de setembro de 2012.

9/09/12 - Comunicado Especial CNG-ANDES (Avaliação Política e Encaminhamentos)


A base da avaliação do Comando Nacional toma como parâmetros da análise de conjuntura os aspectos apresentados no último Comunicado Especial, de 02 de setembro, por entender que os mesmos permaneceram inalterados na última semana.
A nossa greve em curso explicita toda a capacidade de luta e resistência dos docentes, expressa em diversas formas de atuação política, e expõe a intransigência do governo frente à pauta de reivindicação do movimento e o processo de negociação. A continuidade da greve que o CNG/ANDES-SN indica essa semana, ainda que num cenário adverso no enfrentamento com o governo e de término de outras greves, exprime a disposição da categoria de seguir lutando pela pauta, visto que até o momento não houve avanço no atendimento dos dois pontos, apesar da força dispensada até aqui.
No que concerne à proposta de carreira, há mais de uma semana o governo enviou ao Congresso Nacional o PL n° 4.368/12 com conteúdo essencialmente estruturado na lógica amplamente rejeitada pela categoria nas Assembleias de base, uma vez que desestrutura ainda mais a carreira, descaracteriza o regime de trabalho de dedicação exclusiva, fere a autonomia universitária e sinaliza com a retirada de direitos garantidos pelo Decreto n°94.664, de 23/07/1987 (PUCRCE). No tocante às condições de trabalho, o governo formalizou a criação de uma comissão para acompanhar a expansão nas IFE, composta por representantes do MEC, UNE e dirigentes das instituições federais de ensino, num ato arbitrário que, ao desconsiderar, mais uma vez, o nosso segundo ponto de pauta, dá sequência a seu projeto de expansão para as IFE, que intensifica o processo.
O movimento grevista assumiu nesta semana tarefas de participar com uma coluna da educação com os docentes em greve no Grito dos Excluídos e dar seqüência ao trabalho junto ao Congresso Nacional. Em Brasília, como em outros estados, participamos do Grito dos Excluídos, em conjunto com outros movimentos sociais, no dia 7 de setembro, marcando presença com uma coluna da educação e com a divulgação da nossa greve por meio de entrevistas à mídia e falas no ato.
Em relação ao trabalho junto aos parlamentares, o CNG/ANDES-SN participou de audiências públicas que trataram da lei de greve e da precarização/terceirização do trabalho, conseguindo pautar a greve docente e a exigência pela reabertura de negociação. A nossa presença foi marcada pela representação do Andes/SN nas mesas de debates, pela divulgação de nossas reivindicações com faixas e bandeiras, com transmissão pela TV Senado. Não obstante o pronunciamento favorável de alguns parlamentares, em meio a um funcionamento esvaziado do Congresso Nacional, ainda não identificamos iniciativas efetivas para provocar a reabertura das negociações.
A partir de decisões de Assembleias Gerais, neste semana que se encerra, o CNG/ANDES-SN indicou que as Assembleias Gerais pautassem a avaliação sobre o prosseguimento da luta, considerando os aspectos locais e nacionais para se posicionarem acerca da continuidade da greve, bem como também pautassem o debate sobre a suspensão unificada do movimento. Em resposta ao que foi solicitado pelo CNG/ANDES-SN, considerando-se as atas/extratos assembleias realizadas no período entre 3 a 6 de setembro, temos o quadro da situação remetidos pelos CLGs das Após a avaliação, o CNG/ANDES-SN, por intermédio de votação nominal, posicionou-se da seguinte forma:
- continuidade da greve – 17 votos (ADUA; ADUFPA; ADUFAL; ADUFS; ADCAJ; ADUFMAT; ADUFMS; SINDCEFET-MG; ADUFU; ASPUV; ADUFOP; ADUNIFEI; ADUR-RJ; APUFPR; APROFURG; ADUFPel; SEDUFSM);
- suspensão unificada da greve – 13 votos (SESDUF-RR; ADUFCG; ADUFEPE; ADCAC; ADUFTM; APESJF; ADUFLA; ADFUNREI; ADUNIFAL; ADUFRJ; ADUNI-RIO; ADUFF; ADUNIFESP);
- abstenções – 0.
           
Essa votação corresponde à deliberação das assembleias de cada delegado aqui presente. A greve docente nas IFE entra num momento marcado pela tramitação do PL 4368/2012 no Congresso para o que a categoria precisa definir suas estratégias de ação e pela intensificação da luta pela melhoria das condições de trabalho em cada IFE. Após avaliar o quadro atual do movimento, o CNG/ANDES-SN indica a manutenção da greve, assim como a intensificação da mobilização e do embate, tanto no âmbito do Legislativo quanto do Executivo, visando a retomada das negociações em torno da pauta de reivindicações do movimento grevista.

ENCAMINHAMENTOS:
II - Luta pela reabertura de negociações
a) intensificar as ações juntos ao executivo e legislativo, em nível local e nacional pela reabertura das negociações;
b) Estabelecer agendas de contatos com os parlamentares nos estados.

III - Luta em relação ao PL 4368/12
a) Que as AGs se posicionem em relação ao PL 4368/12 e sua tramitação apontando a disputa em defesa dos princípios da proposta de carreira do ANDES-SN;
b) Continuar aprofundando a avaliação sobre o PL considerando a elaboração contida no formulação do CNG/ANDES-SN;
c) Deliberar sobre o posicionamento da categoria em relação às ações frente a tramitação do PL;
d) Utilizar as avaliações e o posicionamento do movimento sobre o PL para o trabalho com os parlamentares.

IV - Intensificar a disputa com as reitorias em torno do atendimento das pautas locais e a reversão da precarização das condições de trabalho;

V- Atividades de mobilização

a) Os CLG/AG organizarem ações que unifiquem as SSind por região, com intensificação da atividade, para dar visibilidade à nossa luta;
b) Realizar atividades, no dia 17 de setembro, no portão central das instituições

VI- Rodada de AG entre os dias 11 e 13 de setembro, com retorno das decisões ao CNG/ANDES-SN até 20h do dia 13.

A greve é forte a luta é agora!

12/05 - Assembléia Geral Docente


ASSEMBLEIA GERAL DOS DOCENTES

Edital de Convocação 

DATA: 12 de setembro de 2012
HORÁRIO: 14h
LOCAL: Anfiteatro B - CEA

PAUTA:
1. Informes
2. Avaliação Política
3. Encaminhamentos.


ADUFTM e Comando Local de Greve
Uberaba, 10 de setembro de 2012

UFTM: 107 dias de greve


Há mais de cem dias que não se ouve o burburinho nas escadas, aquele riso de quem esbanja vida, mesmo tendo às vezes uma existência “severina”.
Sumiu do ar aquele misto de tensão e tesão. Tensão para a próxima prova, o próximo seminário, o trabalho que era para ontem. Tesão dos olhares desejantes que salteavam degraus, driblavam colunas e furtivamente se encontravam. Há três  meses a boca do mestre se fechou e foi obrigada a vociferar em outros lugares, clamar contra os burocratas, nas ruas, nas praças, em Brasília.  Há três meses que os olhos do menino/homem, da menina/mulher não se extasiam diante de um saber novo, aquele estremecimento de quem vê a possibilidade de resolver um problema, de alargar a visão critica, de sentir-se menos alienado. Ninguém corre, para devorar um cachorro quente em dez minutos, o bar da DePê está silencioso e triste. Os corredores são mais frios e escuros, o prédio todo tem um ar fantasmático. Dentro dele devia pulsar vida, questionamento, criticidade. Mesmo não sendo um primor de arquitetura, ali nos sentíamos mais unidos, mais fraternos. Que falta faz o sorriso da Antônia, a presteza do Maurício, a boa vontade de tantos técnicos. Amputaram nosso ano, retardaram nossas férias, empurraram contra nossos lábios o cálice amargo do desprezo. A greve é uma violência, e como tal deve ser sentida e vivenciada. Mas os culpados não somos nós, docentes, alunos e servidores que amam a Universidade
O governo, que disse não ter verba para valorizar a educação (nos ofereceu 4,2 bilhões em três anos), disponibilizou para a iniciativa privada cerca  de 80 bilhões via BNDES. Empreiteiras, muitas envolvidas  em falcatruas , outros que tão somente trocrão a razão social, farão “parceria” com o governo federal para “cuidar” e ampliar  a malha de estradas e ferrovias. E nós lhe perguntamos leitor - educação é prioridade em nossa “republiqueta”?

Bruno Curcino Mota . Professor de Literatura na UFTM. Doutor em Estudos Literários pela UNESP/Araraquara.

terça-feira, 4 de setembro de 2012

05/09 - Assembléia Geral Docente


ASSEMBLEIA GERAL DOS DOCENTES

Edital de Convocação 

DATA: 05 de setembro de 2012
HORÁRIO: 08h30m
LOCAL: Anfiteatro B - Externo do HU - Ambulatório Maria da Glória

PAUTA:
1. Informes
2. Avaliação Política
3. Encaminhamentos.


ADUFTM e Comando Local de Greve
Uberaba, 03 de setembro de 2012

sábado, 1 de setembro de 2012

UFTM continua em greve

Após deliberação da Assembléia realizada hoje (31 de agosto), a UFTM continua em greve!
Com 70 votos a favor, 10 contra e 7 abstenções!


Muitos posicionamentos políticos, ideológicos, sentimentos e angústias foram expostos e discutidos, para que democraticamente chegássemos a este quadro! Muitas pessoas, como eu se sentiram inflamadas, pela coragem e luta de muitos companheiros que têm dedicado boa parte de suas vidas, por essa causa. Que causa? 

Cada vez fica mais claro e evidente, o quão o atual governo por meio de suas ações e não ações, ignora, ou ratifica sua direção! 

Essa que não converge com uma educação pública de qualidade e para TODOS!  
Quanto tempo mais será necessário? Desconfio que nosso governo já se esqueceu, que a "classe que vive do trabalho" nos termos de Antunes, não desiste, não se cala e não se isenta da LUTA! Ou mais, já esqueceu que um dia pertenceu a esta classe!

Mesmo ainda, não pertencendo formalmente desta categoria, na condição de professora temporária em uma Universidade Federal, me sinto honrrada em ter participado deste momento histórico, permeado e determinado por diversas mediações!

E como professora temporária, me sinto dialeticamente ligada a esta luta! Pela minha categoria, pelo projeto ético-pollítico que acredito e defendo e sobretudo por meus alunos!! Vocês são a esperança por dias melhores em tempos de capital e fetiche!!!!

Continuamos na LUTA!


Profa. Gabriela Abrahão Masson